Mensagens

Mensagem em texto

VOCÊ VÊ A DEUS

Tema: Conexão com Deus
Liberato Pereira
Igreja Presbiteriana do Brasil 914 Clique(s) 6 mensagens 20 Voto(s)

VOCÊ VÊ A DEUS?


“Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus.” (Mt 5:8)


Seu coração tem a capacidade de mostrar grande misericórdia, perdão sem limite, crê no impossível, amar o detestável, responder com gentileza, orar incessantemente, ter intimidade com Deus e vê-Lo? Infelizmente, para muitos de nós, os corações estão enterrados na falta de perdão, amargura, dúvida, decepção, mente dividida, medo, rancor e outros sentimentos ruins.


            Nosso fracasso em “ver a Deus” não é uma questão de invisibilidade ou indisponibilidade. Na maioria dos casos, é meramente uma questão de foco. Somos propensos a tornar o nosso eu e os nossos problemas maiores do que são, impedindo-nos de contemplar o nosso Deus. Uma pequena moeda, quando aproximada do olho, pode apagar o sol. Da mesma forma, pequenos problemas podem ofuscar a presença, o poder, as promessas e as provisões de Deus, em nossas vidas. O homem natural tende a nutrir o medo e privar-se da fé. Cultivar e encorajar a dúvida e desencorajar a esperança.


            Os quatro Evangelhos contam a história de Jesus alimentando a multidão de cinco mil pessoas. Quando confrontados com a intenção de Jesus para alimentar a multidão, os discípulos se concentraram egoisticamente na impossibilidade de não poder fazê-lo, limitaram a situação a si mesmos. Em contraste, Jesus, antes que qualquer pão fosse partido, já sabia o que faria. Ele preparou o povo para receber uma provisão invisível e suficiente para saciar a fome de toda a multidão. Jesus viu o que os discípulos não viram. Você ver a Deus?


            Um coração impuro tende a se concentrar em adversidade, inimigos, faltas, incapacidade, pecados do passado e muitas outras razões, que não poderiam acontecer. O coração puro é capaz de ver a Deus, mesmo em meio às situações mais difíceis. Podemos não ver as coisas tão claramente como Jesus, mas podemos ver o suficiente para dissipar o medo, a dúvida e o desespero. Podemos não saber como Deus vai atender a necessidade, mas podemos saber que Ele irá atendê-la. Você contempla a provisão de Deus?


            Os viajantes de Emaús não perceberam que o companheiro de viagem deles era o Cristo ressurreto, mas afirmaram: “Os nossos corações não ardiam dentro de nós, enquanto falava conosco pelo caminho?” (Lc 24:32). Embora eles não tenham percebido a identidade de seu companheiro de viagem, seja intelectual ou fisicamente, seus espíritos foram aquecidos por Suas palavras. Se tivessem dado lugar aos seus corações ardentes, teriam percebido quem era o orador. Como eles, nossos corações podem perceber Deus, mesmo quando nossos sentidos naturais não estão cientes de Sua proximidade.  Você tem um coração ardente?


            Quando Jesus afirmou: “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus.” O termo que Ele utilizou para “ver” refere-se a algo mais do que uma mera observação ou visão casual. Mais a uma inspeção sincera, de olhos arregalados, sobre algo que é impressionante e pelo qual somos atraídos com grande admiração. É o que se pode chamar de olhar de adoração.


            O problema não é que Deus é invisível ou inaudível, mas que muitas vezes somos cegos e ensurdecidos. Permitimos que a vida e a religião definam Deus, de modo que, quando Ele fala, não O reconheçamos. Este Deus vivo, que nos chama, não se assemelha aos bezerros de ouros que criamos. Estamos tão ocupados com os afazeres da vida que nem percebemos a sarça ardente, muito menos ouvimos a Voz que nos diz que estamos em solo sagrado. Não podemos ouvir o grito da criação, a voz que fala por meio dos eventos da vida ou o sussurro interior. Somos cegos para contemplar a maravilha da natureza, mal olhamos um pôr-do-sol dourado, muito menos olhamos para Ele em admiração reverente. Inclinamos nossos ouvidos para ouvir a grande voz de uma cultura que valoriza a segurança financeira, os prazeres, preocupações, dúvidas, cronogramas, mas somos surdos para ouvir a voz de Deus. Estamos tão envolvidos no temporal das coisas efêmeras desta vida que não podemos ver e ouvir o Eterno.


            José do Egito foi capaz de contemplar e ouvir Deus na prisão. Ele percebeu que os seus irmãos haviam feito o mal, mas para Deus significava o bem. Se Ele tivesse olhado para seus irmãos por meio da lente da amargura, ressentimento e falta de perdão, certamente teria usado sua alta posição no Egito para se vingar, matando-os. Em vez disso, um coração puro permitiu a José ver além das circunstâncias e ações maliciosas de seus irmãos o propósito de Deus, mesmo em meio de sua aflição e adversidade. Seu coração puro nunca permitiu que ele se tornasse o dono do problema, mas permanecesse como o mordomo da promessa.


            Seu coração é puro? Você consegue contemplar e ouvir Deus em todas as circunstâncias da vida? Dê combustível às brasas da fé em seu coração, mantenha-o puro, assim verás o agir de Deus no bem ou mal, nas vitórias ou derrotas, nos mananciais ou desertos, ontem, hoje e durante toda a sua existência. 


            Rev. Liberato Pereira dos Santos            


 

Compartilhar

Avaliação: 3.7/10 (3 votos)

Desenvolvido por